Publicado em Polícia - 20/02/2013 - 09:38h | Redação

Santa Casa confirma que jovem que morreu em Machado tinha leucemia

Diretor nega falha em atendimento de jovem que foi cinco vezes à unidade. Polícia Civil vai investigar se houve omissão de socorro.


 

Jovem que morreu em Machado sofria de leucemia segundo exames. (Foto: Reprodução EPTV)

Jovem que morreu em Machado sofria de leucemia segundo exames. (Foto: Reprodução EPTV)

 

 

O diretor técnico da Santa Casa de Machado, Antônio Machado Dias, responsável pelo pronto-socorro do município, negou que houve falha no atendimento da instituição no caso da morte da jovem Ednalva Oliveira Silva, de 24 anos. Segundo o diretor, exames de sangue realizados no dia da morte de Ednalva constataram que ela sofria de leucemia.

“Essa patologia é difícil de ser diagnosticada e pode aparecer de forma abrupta. Ela foi atendida e liberada porque clinicamente não apresentava sintomas da patologia. Para mim não houve negligência, nem imperícia ou imprudência. Ela foi atendida de acordo com o que ela apresentava e as possibilidades que temos na localidade”, disse o diretor.

Dois boletins de ocorrência foram registrados a pedido da família de Edinalva e também a pedido do Ministério Público. A promotora Valéria Magalhães esteve no pronto-socorro e verificou que não havia médico de plantão no local. Segundo o MP, o pronto-socorro está sob intervenção judicial. Dívidas financeiras teriam causado problemas como a falta de médicos.

O corpo da jovem passou pro necrópsia e um inquérito da Polícia Civil vai apurar se houve omissão de socorro. Segundo a família, entre quinta (14) e sexta-feira (15), a jovem começou a sentir dores de garganta e procurou atendimento, mas o quadro piorou. Ainda conforme a família, Ednalva foi cinco vezes ao Pronto-socorro de Machado e os médicos receitaram analgésicos. A jovem deixou dois filhos, de 4 e 6 anos de idade.

Morte e crise
A jovem de 24 anos morreu no pronto-socorro da Santa Casa de Machado (MG) no final da tarde desta segunda-feira (18). Segundo a família, Ednalva Oliveira Silva foi levada para o hospital sentindo dores pelo corpo e com gosto de sangue na boca. Ainda conforme os familiares, ao ser levada para o hospital, ela teria recebido injeções, mas os parentes não sabem o que foi injetado na jovem. Analgésicos e antiinflamatórios também foram receitados. Na segunda-feira, apareceram manchas pelo corpo de Ednalva, que foi levada novamente ao pronto-socorro pelo irmão. Após algumas horas, a jovem morreu no local.

Em janeiro deste ano, moradores de Machado já haviam registrado um boletim de ocorrência quanto à falta de atendimento no pronto-socorro da cidade. O motivo da crise, segundo o provedor da Santa Casa, era a falta de repasse de verbas da prefeitura. Segundo ele, 28 médicos e outros 16 funcionários estavam sem receber os salários.

No início de fevereiro, o secretário de saúde de Machado, Marcos Matheus, informou que o atendimento foi normalizado, assim como o pagamento do mês de janeiro dos funcionários. O provedor da Santa Casa, Lúcio Dias Vieira Júnior, afirmou que a prefeitura baixou um decreto assumindo a administração do pronto-atendimento.

G1 Sul de Minas

 



  1. karem

    olha so o descaso que um ser humano e tratado pagamos imposto e nem podemos ter um atendimento que e nosso direito esse machado esta uma porcaria de saude atendimento

Deixe um comentário

(obrigatório)

continue lendo